Licença de Software: Você sabe como funciona?

Escrito por:
Publicado em: 12 de setembro de 2018
Categoria: Geral

A licença de software é o documento que especifica os limites de uso
que um usuário pode ter em relação a um produto de terceiros. Há
diversas categorias de licenças de software, desde as menos restritivas
(software livre, software de código aberto, copyleft, etc.) até as
proprietárias.

Para facilitar o entendimento, vamos detalhar abaixo tipos de licenças
a fim de esclarecer a importância do software licenciado para sua
empresa!

Tipos de Licença e Formas de Aquisição

No mercado, encontramos atualmente vários modelos de
licenciamento que contemplam licenças de aquisição, uso,
manutenção e o conjunto delas.

Licença de Uso Perpétua

Licença de uso perpétua é um dos modelos mais tradicionais de
distribuição de aplicativos onde a solução é comercializada como um
ativo e quem a adquire tem direito de uso pelo resto da vida. Essa
modalidade pode ou não contemplar as manutenções e atualizações.
Nos casos em que a licença é adquirida sem as manutenções e atualizações, podem surgir
custos imprevistos no futuro.

SAAS (locação)

SaaS (software as a service) é um modelo que funciona como assinaturas mensais hospedadas em nuvem,
normalmente é um ambiente compartilhado entre vários clientes e a aplicação é desenvolvida para ser
entregue neste formato, de forma que nada é instalado localmente. O cliente não precisa arcar
com aquisição, pagando somente pelo número de usuários ativos no serviço contratado.
Há também casos em que o software pode ser instalado no ambiente do cliente, pagando um valor mensal,
similar a um aluguel.
Em ambos os casos, o cliente utiliza o benefício de ter sempre a versão do software mais atual.
Vale destacar, aqui, a necessidade da validação dos direitos de uso do software a fim de se certificar
se o mesmo pode ser locado ou não. Nos termos de uso das aplicações existem regras que deixam
clara esta possibilidade.

Software Livre

No software livre, como o nome já diz, o usuário tem a liberdade para
copiar, distribuir, modificar e estudar o código-fonte do software.
Assim, ele pode adaptar a aplicação às suas demandas, porém, o fato
de ser livre não significa necessariamente que o software seja
gratuito.
É necessário conferir a garantia legislativa do copyleft, que diz se um software é livre de direitos
autorais ou apresenta algumas limitações quanto a sua propriedade intelectual.

Software Open Source

Software open source (ou de código aberto) é uma escolha que tende a
apresentar os custos mais competitivos por não ter valores atrelados ao
seu licenciamento. A empresa não arca com o custo de seu
desenvolvimento, mas pode ter que pagar taxas de manutenção ao
hospedar o serviço.

Neste tipo de licença, o cliente é livre para personalizar o software
de acordo com suas necessidades e alterar o código escrito por
terceiros, entretanto, os desenvolvedores podem definir restrições de
uso, ponto que o diferencia do software livre.

Software Gratuito ou Freeware

Software gratuito, por sua vez, designa aquele que pode ser distribuído
e utilizado gratuitamente, mas não necessariamente disponibiliza sua
lógica para personalização.

Independentemente da opção de licenciamento escolhida pela empresa, o
licenciamento sempre gera vantagens ao seu negócio. Conheça alguns
benefícios:

Por que Licenciar um Software?

O licenciamento de software traz estabilidade nas operações do dia a
dia da sua empresa. O software não licenciado pode parar a qualquer
momento, provocando problemas e custos imprevistos. Além disso, o
software licenciado é seguro; passou por certificações de segurança,
auditorias e testes o bastante para garantir sua eficiência. Outro
ponto importante é que as empresas que padronizam software licenciado
não terão problemas com multas por uso ilegal.

No caso daqueles de código livre, oferecem transparência para que uma
ampla comunidade de usuários e desenvolvedores investigue seu
funcionamento criando uma auditoria orgânica.

Com o software registrado, o custo de manutenção é menor e o temor da
fiscalização deixa de fazer parte da rotina da empresa, além disso, a
empresa pode contar o suporte direto do fabricante e garantia contra
defeitos de fabricação.

Voltar ao topo